Review: Harry Potter and the Cursed Child


Harry Potter and the Cursed Child
de J.K.Rowling, John Tiffany, Jack Thorne
Edição/reimpressão: 2016 
Páginas: 352
Editor: Little Brown UK

Resumo: 
The Eighth Story. Nineteen Years Later.
Based on an original new story by J.K. Rowling, Jack Thorne and John Tiffany, a new play by Jack Thorne, Harry Potter and the Cursed Child is the eighth story in the Harry Potter series and the first official Harry Potter story to be presented on stage. The play will receive its world premiere in London’s West End on July 30, 2016. It was always difficult being Harry Potter and it isn’t much easier now that he is an overworked employee of the Ministry of Magic, a husband and father of three school-age children. While Harry grapples with a past that refuses to stay where it belongs, his youngest son Albus must struggle with the weight of a family legacy he never wanted. As past and present fuse ominously, both father and son learn the uncomfortable truth: sometimes, darkness comes from unexpected places. .

Rating: 3.5/5

Comentário:
Depois de ter andado desaparecida por uns tempos, volto ao blogue com uma crítica livre de spoilers ao último livro de J.K. Rowling.
Este livro, que na realidade é um texto dramático, trata-se do guião da peça que está de momento em cena em Londres. E, tal e qual como a sinopse anuncia, é uma continuação da saga Harry Potter. Uma aventura extra por assim dizer, na qual vamos encontrar o nosso trio favorito na casa dos quarenta anos e com filhos. Infelizmente para Harry, nem tudo é um mar de rosas, e os leitores são convidados a mais uma aventura.
Cursed Child é o livro que está a dividir os fãs, se por um lado uns pedem a J.K. Rowling que pare de escrever, outros parecem não resistir à nostalgia que os livros trazem. Pessoalmente acredito que haja "demais de uma coisa boa" e apesar de Cursed Child ter tido uma boa evolução/crescimento de personagens secundários, como Ginny e Draco, teve também uma deterioração de outros personagens como Harry.
Confesso que eu sou uma das nostálgicas, e se por um lado não me conformo com algumas partes do enredo, outras houve que me deixaram satisfeita. Ainda que alguns fãs tenham sentido que J. K. Rowling não escreveu esta peça (devido a certos eventos na mesma) e apenas emprestou o nome, eu acho que este guião evoca um sentimento "potteriano".
Senti que foi uma história divertida, apesar de ter as suas falhas, e que por esse motivo, infelizmente, por vezes soa a fanfiction (sabem do que falo? Aquele tipo de fanfiction que escrevemos quando estamos a entrar no reino da escrita e ainda não temos experiência.).
A primeira parte do livro cria todo o ambiente e parece não avançar muito depressa: voltamos imediatamente ao fim do último livro e a história pega daí. Rose e Albus seguem para Hogwarts onde a aventura começa. Depois, lentamente, o enredo começa a compor-se e temos acção até ao fim!
Apesar de nem tudo se ter resolvido como eu queria e certas partes terem sido estranhas, sinto que gostei deste livro no geral. Apesar disso, sinto também imensa vontade de ir ler fanfiction de qualidade.
Sai da minha estante para a da Cláudia, até porque o livro é dela e ela carinhosamente mo emprestou, com a classificação de 3.5 na qual 1.5 valores, senão dois, são mesmo só por causa de todas as cenas com os Granger-Weasley.


Aqui ficam algumas das minhas fotos favoritas da peça. Não escondo o favoritismo pelos Granger-Weasley!




1 leitores reagiram:

  1. Estive com o dedo parado em cima do botão para mandar vir este livro... e desisti. Não só por ser uma peça e não ser apenas JK Rowling, mas por ter achado que até o espílogo no fim do último livro esteve a mais.

    Acho que prefiro, pelo menos por ora, ficar só com a história inicial, eu que a li toda já adulta e a adoro. Tenho bastante receio de me desapontar com esta.

    ResponderEliminar