Opinião: Eleanor & Park, de Rainbow Rowell

Eleanor & Park
de Rainbow Rowell
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 336
Editor: ORION PUBLISHING CO
Resumo:
Contada ao longo de um ano escolar em 1986, Eleanor and Park é a história de dois jovens enamorados que são demasiado espertos para saberem que o primeiro amor não é eterno mas que são corajosos e desesperados o suficiente para tentarem. 
 (Aviso contém k-7's e walkmans!)

Rating: 3/5

Comentário:
Depois de A Culpa é das Estrelas, de John Green, Eleanor & Parks, de Rainbow Rowell é o livro mais comentado e amado pelos jovens cibernautas. Quando andava pela net e via perguntas como qual foi o melhor livro que leste o ano passado, as respostas pareciam sempre oscilar entre as culposas estrelas e a o casal dos phones e foi assim que lentamente ele começou a captar a minha atenção.
Apesar de ter A Culpa é das Estrelas por ler, a verdade é que John Green não me impressionou muito com o primeiro e único livro seu que li até hoje (na realidade já me semi-contentei com o facto de que gosto dele como pessoa mas não como autor) e como nunca tinha lido nada de Rowell decidi ver como era a sua escrita.
Após algumas citações que me deixaram curiosa resolvi ler a sinopse. Quando esta não pareceu revelar muito decidi arriscar e ir em busca do livro para o ler.
Para mim foi fácil perceber a realidade de Eleanor & Parks, apesar de ser muito pequena em 1986, a verdade é que algumas das coisas que eles fazem como trocar k-7s e ler banda de desenhada fizeram parte da minha vida e foi engraçado encontrar um eco dessa existência. O facto da história se passar em 1986 também torna tudo mais interessante na minha opinião, o que eu me ri quando estes jovens discutiam o preço das chamadas telefónicas entre os seus telefones de casa. Este livro acaba por ser um bombom neste género de situações que nos evocam uma realidade que não está tão longe quanto isso.
Infelizmente tenho a dizer que não creio que a autora tenha feito uma boa distribuição da história. Apesar de começarmos a uma boa velocidade pareceu-me que ela simplesmente empancou no meio por mais ou menos 100 páginas só para depois dar um final a correr que nos deixa sem perceber muito bem o que se passou depois.
É o género de final aberto que nos diz tudo mas ao menos tempo não nos diz nada e nos deixa a pensar em todas as possibilidades enquanto resmungamos sobre o facto dela não ter posto a ideia final a meio do livro ganhando assim a possibilidade de a desenvolver mais.
(Gostei desta imagem dos personagens e resolvi partilhá-la, cliquem nela para seguirem para o tumblr da autora.)
No entanto, para quem gosta de ler livros com sabor a realidade, Eleanor & Parks poderá, sem dúvida, ser um título a considerar. Sei que sou suspeita porque nunca gostei de livros como A Lua de Joana e Os Filhos da Droga mas, e apesar deste livro não conter drogas, é-me mais fácil perceber a situação conturbada da família de Eleanor e identificar os seus problemas. 
Creio que o grande factor que nos faz gostar/simpatizar com a Eleanor é ela ser ela própria e o facto dela não poder fugir à família que tem. Afinal quem em adolescente não se sentiu preso? A Eleanor pode ser puxada e empurrada mas é uma personagem que sabe tomar conta de si (ou pelo menos acha que sim) e que vai sabendo mais ou menos o que quer, o que a torna uma adolescente credível.
Feitas as contas foi um livro que por vezes me mexeu com os nervos, principalmente nas partes de bullying, mas que não me arrependo de ter lido. No entanto, não conto tornar a lê-lo.
Saí daqui com a classificação de três estrelas.

1 leitores reagiram:

  1. Fiquei curiosa. Tb tenho uns livros de jovens em inglês para ler e criticar no meu blog. O que li (e que há-de sair a crítica no blog) é "One for the Murphys" e é também um livro centrado na realidade. É um género que gosto muito

    ResponderEliminar